quarta-feira, 6 de maio de 2009

Quem Somos






Me chamo Léo Moço, sou carioca e tenho 30 anos. Minha formação acadêmica reflete bem minha personalidade(estou sempre atrás de uma paixão), cursei Informática e Nutrição mas em 2005 tudo mudou...

Ao desenvolver um plano de negócios para um Cyber-Café, algo despertou, não apenas o fato de dar o primeiro passo em busca do negócio próprio mas uma verdadeira paixão, daquelas que você não tem dúvida, larguei tudo pelo Café.

Até aí nada demais, mas, seria loucura dizer que estava largando toda minha carreira para trabalhar com uma bebida que não gostava até então?

Essa pergunta martelava minha cabeça e uns meses depois, tive minha resposta, prove um café especial de qualidade e mude sua vida. Isso aconteceu comigo!!!

Café? Até 25 anos nunca gostei e assumo, provei uma vez na vida e nunca mais. Apesar de não consumir a bebida o aroma sempre me fascinava e confesso que a cultura familiar de sentar à mesa e tomar aquele cafezinho logo cedinho, era um costume que eu adoraria ter.

Então, depois de um dia cansativo de trabalho em um Hotel em Angra dos Reis, resolvi arriscar um cafezinho após o maravilhosos jantar. Muito açúcar na xícara (péssima lembrança daquele primeiro gole) - "Nossa!!! Que café diferente, gostoso!!" - Assim, começou minha verdadeira paixão por café e ainda não tinha me dado conta, que naquele momento, tinha provado na verdade um café de qualidade e tinha sentido o verdadeiro aroma e sabor de um bom café.

No mesmo mês, lembrei que tinha assistindo um programa do Jô Soares com uma Barista que tinha ganho um campeonato, minha mente competitiva logo pensou - "Campeonato? é comigo mesmo!!". Fiz meu primeiro Curso de Barista logo em seguinda, chamado de Barista Sênior, ministrado pela ABIC no Centro do Comércio do Café - RJ. Ahhhh, para não esquecer, 3 meses depois eu estava participando do V Campeonato Brasileiro de Baristas, de 44 competidores consegui a íncrivel marca da 21 colocação.

Em 2009, realizo meu grande sonho, em conjunto com a minha noiva, coloco em prática toda experiência e expertise adquirida na minha própria empresa...Assim, eis o Café Do Moço.





Cris Azeredo, 31 anos, publicitária. Mineira de nascença, mas, carioca de coração. Como toda boa mineira sempre fui louca por um cafezinho. Sei que é o maior clichê, mas não há nada como um bom café coado acompanhado de um autêntico pão de queijo. Mesmo sem ter a tradição em casa, meus pais não gostavam, nunca resisti a um bom aroma de café. Mesmo assim para tomar um cafezinho tinha que ser cheio de açúcar ou adoçante. Isso para não sentir o amargor tão característico da péssima qualidade do café que a maioria dos brasileiros bebe neste país. Nunca imaginei um dia degustar um bom café sem açúcar. O interesse pelos cafés especiais veio através de uma experiência de trabalho como barista nos Estados Unidos onde morei por dois anos. Eu ainda não sabia que ali estava iniciando uma nova fase da minha vida. Foi lá que tive meu primeiro contato com uma máquina de café espresso e me apaixonei pelo verdadeiro cappuccino. Bastaram algumas xícaras e lá estava eu totalmente envolvida por este mundo de aromas e sabores inesquecíveis. Durante estes dois anos tive a oportunidade de trabalhar em movimentadas cafeterias americanas e conhecer mais sobre cafés. De volta ao Brasil estava decidida a trabalhar nesta área, mas me deparei com um mercado bem diferente do americano. Com um pouco de paciência e persistência foram mais alguns anos de publicidade com um pé no café. Até que por fim, tive a oportunidade de conhecer o Léo Moço, hoje meu noivo. Agora aqui estamos realizando o sonho de montar a nossa empresa, Café do Moço. O objetivo deste blog é compartilhar nossa experiência e novidades sobre cafés especiais. Seja bem-vindo!


















4 comentários:

Dan disse...

Incrível como é a vida. Quase 6 da manhã de uma quarta-feira e estou lendo quase todos os posts deste blog. Tenho 27 anos e sou estudante de marketing. Mas de uns anos pra cá o bendito café tem despertado, aos poucos essa vontade de buscar mais e mais informações para sanar uma dúvida cruel: "seria loucura dizer que estava largando toda minha carreira para trabalhar com uma bebida que não gostava até então?". Não tão assim, mas digamos que, quase assim... Sempre busquei muito na internet sobre a profissão, sobre remuneração, e só hoje o "Café do Moço" apareceu na busca do Google pra mim, (vai entender...) Gostei de tudo o que li, favoritei muitos links e estou próximo a tomar uma decisão que (espero) pode mudar a minha vida pra melhor. Obrigado pelo ótimo blog! Daniel A.

Café Do Moço disse...

Daniel,

são 8:44 da mesma manhã de quarta-feira e sua mensagem é a resposta da sua "loucura" ... :)

Não querendo influenciar sua decisão mas não me arrependi da minha...

Receber sua mensagem hoje é a prova disso. Grande Abraço e Boa Sorte em suas decisões, no que precisar estou a sua disposição.

William Néri Garbi disse...

Sem dúvida, um dos melhores portais sobre o assunto.

Um "post" mais interessante que o outro. Dá para passar o dia todo lendo este site de cabo a rabo.

Meu nome é William, tenho 23 anos, sou advogado. A cada dia que passa fico mais interessado pelos segredos desta fascinante bebida.

É um hobbie. E sinto que um dia irá virar negócio.

Parabéns a vc, LM.

KENTO CAFE disse...

Bom eu morava e trabalhava em SP capital,
Por motivo de herança cai num cafezal orgânico bourbon amarelo, como nao era do ramo e nada sabia de café, o primeiro pensamento foi vou vender este bagulho, nao sei plantar nem alface na minha sacada, rs, quanto mais ter um cafezal inteiro p. cuidar,
Bom já estou na quarta safra, continua orgânico 100%, e todos os dias no café da manha tomo cafe bourbon amarelo coado com leite e pouco açúcar.
Só posso dizer que passei a amar tudo que venha do café, a árvore, a colheita, a torra, a moagem, a embalagem, fazer e tomar café, seja espresso ou coado.
As vezes você planeja uma vida inteira com todos seus caminhos e saídas, mas na verdade a vida nos presenteia com muitas outras possibilidades, o importante e ter certeza da felicidade em cada passo, ou cada gole que damos nesta vida.