quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Café do Moço

Chegamos aos 6 meses!!!!

Vocês estão notando que o blog está pouco movimentado esse mês, a explicação é simples, estamos nos preparando para o ano de 2010. Depois de 6 meses da criação do conceito Café do Moço, todas as lições aprendidas estão sendo analisadas para o próximo ano.

Gostaria de contar o que é o conceito Café do Moço...

A Idéia

Desde que comecei a trabalhar com cafés em 2005, sempre tive a meta de um dia ter a minha própria torrefação. Durante esse tempo estudei e planejei como deveria ser feito esse projeto mas algumas questões me deixavam preocupado.

Primeiro, o alto investimento, já que as instalações e maquinário para uma torrefação mesmo que de pequeno porte para cafés de qualidade é algo muito mas muito caro. Em segundo lugar, será que esse alto investimento se justicaria com o consumidor atual brasileiro?

Após 4 anos de pesquisa cheguei a conclusão que não. Que ainda é preciso formar consumidores e mostrar o que um café de qualidade tem de diferença. Mas seria a hora de colocar os planos na geladeira?

Decidi que não e foi então que comecei a estudar SUSTENTABILIDADE. Ou seja, eu precisaria de um projeto sustentável, utilizando matéria-prima ( café)  de alta qualidade e que eu pudesse ter a chance de educar o consumidor.

O Plano

Utilizar a ferramenta web era um pilar essencial, já que diminui o custo inicial de um projeto mas ao mesmo tempo é um fator limitante. Então a idéia do blog caiu como uma luva, poderia divulgar as vendas dos produtos e ao mesmo tempo educar meu consumidor.

Um segundo fator importante era focar na qualidade dos grãos mas essencialmente em oferecer o café o mais fresco possível. Com isso veio a idéia dos Micro-Lotes, uma estratégia já bem feita fora do Brasil mas que aqui muito pouco explorado.

Ao estudar SUSTENTABILIDADE outro fator entrou em minha mente, focar no dueto Sustentável e Ecológico.

Decidi vender os cafés em pacotes de 250gr, já que assim o consumidor pode pedir toda semana o  seu café fresco, o que com certeza vai deixar o produto sempre nas melhores condições.

Então, comecei a estudar os torradores. Quantos kg? Qual marca? Enfim, como torrar 250gr por vez sendo sustentável e ecológico? Esse era um dilema que só resolvi em uam viagem para os Estados Unidos.

Os Estados Unidos

 Programei uma viagem aos USA para acompanhar o WBC 2009 e visitar a feira de cafés da SCAA realizados na cidade de Atlanta. Acabei dando muito sorte, já que duas semanas antes do evento fui convidado para trabalhar no stand da BSCA na feira.

Aproveitei para fazer todas as minhas pesquisas sobre torradores e embalagens...O que eu posso dizer é que os USA é o país das maravilhas para quem trabalha com cafés, tem de tudo e com muita qualidade.

Conversei com inúmeros fornecedores de torradores, desde os domésticos até os super moderno e quando eu contava minha idéia, a maioria dos conselhos eram, compre torradores de 5 a 12kg.

Os preços, aqui no Brasil deve girar em torno de 40 a 120 mil reais o que não tornava meu negócio nada sustentável e muito menos ecológico. Ao gerar energia e calor em um torrador de 5 kg ou 12kg para torrar 320gr os meus planos de sustentabilidade ecológica foi por água abaixo.

A Solução

Conheci no stand da Behmor o seu proprietário Joseph Behm. O Behmor é um torrador doméstico, que torra até 1lb (aprox. 450gr). O mecanismo de torra é praticamente todo automatizado, são 5 profiles de torra e no máximo você pode aumentar ou diminuir o tempo de torra. Isso é um fator limitante para quem quer oferecer cafés maravilhosos mas pensando no consumidor, quem hoje vai detectar nuances tão sensíveis? O custo da máquina é zero em relação aos torradores profissionais industriais e após testes e mais testes, obtive resultandos interessantes.

O torrador não necessita de afterburner e praticamente não emite fumaça já que possue um supressor bem eficiente. Trouxe alguns torradores para o Brasil para testes e com a proposta de Behm para representá-lo aqui no Brasil.

Então tudo começou a encaixar, o custo baixo, ideal para torrar 320gr por vez ou seja, sustentável e ecológico. Bingo!!!

A Embalagem

Outro fator preocupante, que tipo de material? Com válvula ou sem? Bem, todos sabemos que a oxidação é um elemento preocupante para um café de qualidade, gosto de comparar com o suco de laranja, 30 minutos depois de pronto tem aquele sabor horrível. Estudando o projeto das embalagens, penso que usar as de válvula serve apenas para alguns casos, como por exemplo estocar cafés. Como meu projeto abomina estoque de café torrado e o consumo mais rápido possível do produto a embalagem valvulada perde a razão, já que após a embalagem ser aberta a válvula perde sua utilidade.



Então na mesma feira em Atlanta conheci uma embalagem ecológica, feita de papel reciclável com fibra de milho por dentro cobrindo as paredes da embalagem para proteger do contato com o papel e não transferir os óleos aromáticos. A embalagem é fechada com o que eles chamam de Tin Tie, tipo aquele aramezinho de pão, assim, na hora de jogar a embalagem no lixo é só retirar o arame e ela já tá pronta para ser reciclada.

O Lançamento



Ao voltar ao Brasil fui convidado pelo Paul Germscheid para expor o projeto Café do Moço no stand da La MArzocco na Fispal-SP em junho desse ano. Participei da Copa Barista e o torrador passou por seu primeiro teste. Torrei dois Micro-Lotes  no Behmor e fui competir, o resultado não poderia ser melhor, um vice-campeonato. Perfeito, o que me levou a entender que as vezes ter um super torrados na mão pode não fazer a diferença, já que é muito mais fácil estragar a torra em um torrador profissional do que um doméstico.

E assim, chegamos a 6 meses de vida, oferecendo um produto de alta qualidade com o pilar SUSTENTABILIDADE e ECOLOGIA muito bem sucedido e é justamente essa cultura que passamos a nossos consumidores ávidos por qualidade e diferenciais.

Em 2010, novos desafios estão chegando, como começar a torrar cafés para cafeterias. Aguardem nossos primeiros clientes!!!

4 comentários:

Cafezista disse...

Esse é o meu Léo!

Mariana Proença disse...

Léo, parabéns pelo trabalho!
Adorei ler todo o planejamento desde o início. Provou ainda mais que temos de ter metas, objetivos para realizar e soluções para os obstáculos, que inevitavelmente sempre aparecem!
Boa sorte e siga em frente!
bjs, Mari, da Espresso

Linhares disse...

olha eu alí!

=D

Mayre Sabóia disse...

Léo,

parabéns pela disposição de transformar um ideal em realidade. Moro no Ceará e eu e meu marido temos um sítio com manejo agroflorestal.
Sei q transformar sonhos em realidade é muito difícil e exige muito trabalho.

Vc poeria dar mais informações sobre esta embalagem e o contato (site) do fornecedor?

Obrigada.