quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Nem Gourmet e Nem Especial

Doce

Ando meio cansado dos termos de classificações de cafés... principalmente os meramente apelativos, como  estampar na embalagem Gourmet e Especial. 

Aqui no Cafuné, nossos micro lotes são chamados de Cafés Doces... Isso tem tornado a percepção de qualidade em cafés bem mais identificáveis aos clientes... O número altíssimo de clientes que dizem "não entendo nada de cafés mas o seu café é o melhor que já provei" é o maior exemplo que a qualidade de um bom café é perceptível a qualquer um. Aos empresários que economizam nos grãos, equipamentos e treinamento com funcionários, cuidado, o Café Doce está aí.


Veja o caso do velho e famoso Melitta, agora  mesmo com a péssima qualidade, virou ESPECIAL... 



Todo ano a indústria anuncia que o Brasil será o maior consumidor de cafés do mundo ultrapassando os Estados Unidos, besteira, com um café tão ruim, só o incentivo ao consumo de cafés de qualidade aumentaria o consumo ou vamos ficar dependendo de uma progressão aritimética a base de Pilão e Melitta Edição Especial???







2 comentários:

Fernando santana disse...

Não sei se vocês chegou a experimentar mais , a essa mesma marca lançou cafés de várias regiões diferentes (sul de minas, cerrado etc...) prometendo aromas e sabores , quando fui experimentar um café totalmente aguado com gosto de nada com queimado no fundo .. affs !!!

hector disse...

Olá li seu post e achei muito legal, gostaria de dizer que trabalho para a rede de franquias Café do Ponto, sou barista e instrutor de franquias, e estamos no inicio de um trabalho muito forte para enriquecer o treinamentos de todos que trabalham na rede, eu pessoalmente estou me esforçando muito nesse sentido, para provar que é possivel mesmo em uma grande rede se ter boa informação, e qualidade e capacitação, esperoque logo os resultados sejam percepitiveis.